O som necessita de um meio físico, sólido, líquido ou gasoso, para se propagar (para chegar de um lado a outro).

Quando uma fonte sonora produz uma vibração, esta é transmitida, por choque, aos corpúsculos mais próximos. Esta vibração é comunicada aos corpúsculos seguintes através dos choques entre eles (Figura 1).

 

Figura 1 - Propagação do som.
Figura 1 - Propagação do som.

 

Estes movimentos de vibração dos corpúsculos (alteração das suas posições) provocam no meio de propagação zonas de compressão (onde os corpúsculos estão mais próximos do que o normal) e zonas de rarefação (onde os corpúsculos estão mais afastados do que o habitual).

Não há propagação de som no vazio, devido à ausência de partículas que transmitam as vibrações.

Onda sonora

As variações de pressão no meio que irá transportar o som, compressões e rarefações, são representadas por uma onda sonora, como mostra a Figura 2.

 

Figura 2 - Representação do som através de uma onda sonora [physics.tutorvista.com, adaptada].
Figura 2 - Representação do som através de uma onda sonora [physics.tutorvista.com, adaptada].

 

As zonas de compressão (maior pressão) são representadas visualmente por uma crista de onda e uma rarefação (menor pressão) por um vale dessa onda. No caso da Figura 2 a onda sonora é simples (é o caso de um som provocado por um diapasão).

É esta variação de pressão que será transmitida ao recetor do som (como o ouvido) transmitindo informação.

As ondas sonoras são ondas longitudinais: a variação da pressão é feita ao longo da direção de propagação do sinal (som).

Energia da onda sonora

Durante a propagação do som há transmissão de energia ao longo do meio de propagação, embora não haja transporte de partículas de um local para outro, ou seja,não são as partículas que transportam o som de um ponto para outro, há é transmissão do som através dos choques entre as partículas.

À medida que a onda sonora se afasta da fonte sonora, como as vibrações se irão propagar por mais partículas (o som propaga-se em todas as direções), a energia envolvida nos choques vai-se distribuindo por mais partículas, pelo que estas irão vibrar menos.