Isótopo

A primeira definição de isótopo deve-se a Frederick Soddy (1877-1956), que em 1933 mencionou a existência de átomos do mesmo elemento químico com diferentes massas. Esta definição é anterior à descoberta do protão e do neutrão, que definem o número de massa de um átomo. A definição atual é em função do diferente número de neutrões de átomos de um elemento químico.

Isótopos são átomos do mesmo elemento (igual número atómico, \(Z\)), mas com diferente número de neutrões (\(N\)), apresentando por isso um número de massa diferente.

No caso do elemento Oxigénio (\(\text{O}\)): todos os átomos têm 8 protões (\(Z\) = 8) mas podem ter 8, 9 ou 10 neutrões (\(N\) = 8, \(N\) = 9 ou \(N\) = 10, respetivamente):

Isótopos do Oxigénio (\(\text{O}\))

Nº atómico
(\(Z\))

 

Nº neutrões
(\(N\))

 

Nº de massa
(\(A\))

Representação

Nome

8

+

8

=

16

\(^{16}\text{O}\)

oxigénio-16

8

+

9

=

17

\(^{17}\text{O}\)

oxigénio-17

8

+

10

=

18

\(^{18}\text{O}\)

oxigénio-18

 

Número atómico

Número de massa

TOP



hit
  counter
visitas | Estatísticas | Miguel Neta 2018